versuris.com

versuri declínio aos falsos mc's - mahal

Te rog, așteaptă...

[letra de “declínio aos falsos mc’s” com mahal reis]

[verso 1]
refinamento contínuo pro -ss-ssinato sintático
o fluxo destrói mundos como asteroides ou bombas de táquion
quando eu penso em mc’s falsos, quero o colapso
como o declínio do império europeu pelos cossacos
mapeio o cenário como infográfico
e rateio o tempo de vida de cada mc nesse meio
eu bombardeio atomicamente, hidrogênio
como moisés, divido ao meio o mar vermelho
tão profético, lírico bélico com -rs-nal mega infinito
léxica cega destrói universos qual neutrinos
e paralelos submersos qual centrinos, hinos genuínos
que te levam ao cimo, qual visão de aquino
eu ando nas ruas como um desertor vendo o apocalipse
a metrópole à se decompor
s-xo, violência e drogas como um filme de coppolla
o sangue escorre nos esgotos, satélite e dólar
corporações fabricam sucessoras ilusões na história
editam mentes como ilhas oníricas em águas turvas
s-m-ntes falsas, canções estertoras, valsas tristes
que lembram embotamento as m-ssas, sabotagem das datas
cancelamento de esclarecimento
a uma nova aurora em régias praças
o gueto dilata minhas têmporas
medito nas quadras de modo oriental
me movo num fluxo cardinal
códigos de orientação são pontual
como fragata de cabral e colombo
com s-xtante em quadrante austral
pequenos magnatas, que sonham em tambores
áfrica em bogotá
o jet lag faz permuta no radar

[refrão]
declino falsos mc’s com meus clássicos, bombásticos
-ssalto lírico, sintático, no microfone eu decapito
ponho falsos mc’s à sete palmos e isso é um salmo
declino falsos mc’s com meus clássicos, bombásticos
-ssalto lírico, sintático, no microfone, eu decapito
ponho falsos mc’s à sete palmos e isso é um salmo

[verso 2]
com a elegância de resguardo do guepardo, fugidio
no cimo de caracteres urbanóides fragmentados, trago remígios
grafites me lembram os riscos de felinos
em auspícios planos de um felino, penso [?] futurismo
tribos que se mesclam em elos proselitismos
vetor pneumático de instinto cinegético, irrepreensível
o campo límbico em [?] ativo
construo naves como chaves de asteriscos pra astroglifos
sânscritos de silfos me levam à acessos remotos
terrenos plenos de etileno
decifra o próximo desenho
o próximo termofônico engenho
que te leva à conhecer sobre si mesmo como anseios
veios sáxeos galáticos permeio, trago enleios
caracteres arcaicos, qual textos hermenêuticos
são propedêuticos, os sons da bebê ninja produções
que veio mudar o mundo
como confirmações de trovões, estações e profetizações
revelações como digitalizações em textos
cálculos de arestos em lunetas
em visões de planetas em mega-monções, versos são seixos
trechos de outras civilizações e apetrechos, magos meixo-os
trago sons por éons, quanto freixos
transito em dimensões, me deslocando por eixos
viajo no campo magnético dos leitos temporais
uma nuvem onde tempo e gravidade se mesclam
trazendo a ponderabilidade da cronologia regressiva
tudo nasce e tudo têm seu tempo de vida

[refrão]
declino falsos mc’s com meus clássicos, bombásticos
-ssalto lírico, sintático, no microfone eu decapito
ponho falsos mc’s à sete palmos e isso é um salmo
declino falsos mc’s com meus clássicos, bombásticos
-ssalto lírico, sintático, no microfone, eu decapito
ponho falsos mc’s à sete palmos e isso é um salmo

- versuri mahal

versuri aleatorii